Litoral 90.9 FM

Imagem

Rui José deve acionar o Ministério Público para apurar irregularidades

Rui José diz estar em contato com o Ministério Público, para esclarecer irregularidades encontradas.

O prefeito de Imaruí, Rui José Candemil Júnior, PSD, faz um balanço positivo de seu primeiro ano como gestor municipal, cujas ações, garante, foram dificultadas apenas pelo escasso orçamento municipal deixado pela administração anterior. Da mesma forma, disse ter feito este ano, principalmente aquilo prometido em campanha, realizando obras e prestando contas que a administração anterior não havia prestado, o que culminou, principalmente, com a liberação da Certidão Negativa de Débitos (CND), garantindo novos recursos financeiros para o município.

Rui José, que concedeu entrevista a Almir Rogério, anunciou também estar recuperando locais como o cemitério, bairro Prainha (acesso à Grutinha), Vila Paraiso, Praça da Igreja de São João Batista, rua próxima à Apae e outras obras que estavam abandonadas, entre outras, segundo ele, obras pequenas mas que fazem a diferença . Em alguns desses locais, inclusive, lembra o entrevistado lajotas e outros materiais haviam desaparecido. Sobre esse desaparecimento e outras irregularidades, o prefeito prometeu providências mais enérgicas.

Através do seu departamento jurídico, o prefeito Rui José disse estar em contato com o Ministério Público, para avaliar e esclarecer algumas irregularidades que diz ter encontrado na administração municipal. Entre essas irregularidades destacou prestações de contas equivocadas e o desaparecimento de material que seria destinado ao Samae e não foi localizado, embora as despesas de cerca de R$ 200 mil. O entrevistado assegurou estar ajeitando devagar a cidade e voltou a advertir para o grave problema da obra inacabada do Samae.

Segundo ele, em 2018, numa primeira etapa devem ser investidos em torno de R$ 2 milhões no Samae, considerando que a administração anterior se gabava dizendo ter resolvido o problema da água mas a realidade era bem outra. Rui José anunciou já estar providenciando, graças à liberação da CND, a liberação de recursos em torno de R$ 7 milhões junto à Funasa (Fundação Nacional da Saúde),. para então resolver definitivamente o reservatório, tratamento e distribuição de água no município, "cujos problemas devem continuar", adverte.

O prefeito reiterou estar ajeitando a cidade devagar, como fez com o ginásio Polibão, iluminação pública e o próprio cemitério municipal onde já foram trocadas 15 placas do muro e será recuperada a iluminação do local. Alí, anunciou, teremos um zelador tomando conta do local 24 horas por dia, a comunidade merece, enfatizou. "Temos procurado gerar recursos novos com dotação a mais do que foi deixado pelo ex-prefeito. Assim temos cumprido nossos compromissos com fornecedores e servidores públicos", comemora.

Sobre a situação salarial dos servidores, Rui José disse estar em dia, honrando salários, inclusive o décimo terceiro, o que muitos municípios da região não conseguiram. Ressalvou, contudo, que o salário de dezembro poderá sofrer algum atraso, ficando para o dia 10 de janeiro. "Não esquecendo que ao assumirmos em janeiro deste ano tivemos que pagar dois salários em atraso", constatou.

O prefeito também anunciou estar acompanhando com preocupação a angústia dos moradores da localidade de Recanto das Flores, onde o posto de saúde local foi interditado. Rui José diz não ter sido procurado pela comunidade, como foi anunciado. O problema chegou até ele através do vereador Mizinho e outro morador da localidade. Contudo, ele espera que o posto de saúde volte a funcionar nos próximos dias, dependendo da nova pintura que o local deve receber, por exigência da vigilância sanitária.

Outra dificuldade que, segundo Rui José foi obstáculo a muitas das ações do governo este ano, foi a necessidade de efetivação de pelo menos 68 servidores públicos admitidos no final da administração anterior. "Mesmo assim conseguimos trabalhar com uma administração enxuta, evitando contratações e com boas perspectivas para 2018, de acordo com um orçamento dentro da realidade e das necessidades atuais do município". O prefeito comemora também a renovação da frota de veículos municipais, com recursos do FUNDAM.

Explicou terem sido adquiridos 12 unidades, inclusive microonibus e equipamentos para obras, graças à liberação da CND, o que deve garantir ao município outros cinco veículos que podem chegar ainda este ano, entre eles quatro automóveis gols, todos com recursos da mesma origem, em torno de R$ 1.7 milhões. "Por isso não temos dúvida que a recuperação da Certidão Negativa de Débitos (CND) foi uma das principais providências da nossa atual administração", constata o próprio prefeito.

Advertindo novamente para o que considerou graves problemas na distribuição da água aos moradores em Imaruí, Rui José Candemil Júnior, assegurou que talvez não seja possível resolver o problema em 4 anos, até porque, diz ele, "hoje não se pode fazer como se fazia há 409 anos quando se pingava cloro na água e estava resolvido. É tudo muito mais complexo mas, certamente está entre nossas prioridades". Ele inclusive não afasta a possibilidade de debater novamente a possibilidade de concessão para o serviço de água na cidade.

Matéria: Jornalista Danilo Gomes

Compartilhar esta notícia

Notícias Relacionadas

0 comentário(s)

Faça o seu login ou cadastre-se para comentar!